sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Jesus Cristo: a imparcialidade política de um formador de opinião.

Reprodução --> Figura ilustrativa
Jesus Cristo, nazareno, filho de Maria e José foi muito considerado pelos seus feitos, isso despertou muitos ciúmes entre os líderes religiosos e políticos daquela época.
O caráter e sua posição imparcial numa sociedade religiosa e corrupta tornavam seus ensinamentos inaceitáveis e por isso o Senhor Jesus foi perseguido, mas vejam o que a história nos mostra - um Cristo admirado e temido.   

Admirado - pela autoridade com que ensinava e pelos sinais que produzia, o povo o amava, mas os políticos e sacerdotes se preocupavam com sua fama e prestigio que talvez tirasse o poder de suas mãos, eles queriam continuar a dominar o povo eternamente.

Temido - o povo achava que Jesus era um profeta exatamente como aqueles que eles tinham escutado falar que exista no Antigo Testamento, e também por causa disto os políticos o temiam, pois se fosse profeta ela iria falar a verdade, e estava fazendo isto, então deveria ser morto.

Agora podemos entender melhor porque para os políticos e religiosos ele era extremamente irritante, pois com toda sua influencia com relação ao povo, ele não defendeu nenhuma causa política, mas ausentou-se disto; se Jesus defende-se alguma causa política isto seria a garantia de ter todo o povo de seu lado, mas durante toda sua pregação ele se ateve a causas espirituais.

Assim como Jesus seus discípulos também foram perseguidos pelo mesmo sistema. Hoje não é diferente, há alguns políticos religiosos e corrompidos, são mentirosos e hipócritas ao ponto de usarem a religião como subterfúgio para sua ganância. Todavia ainda a tempo de rever esses conceitos e se converterem dos seus maus caminhos.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 
(1 João 1:9)

Pr. Washington Luiz
Jornalista eTeólogo

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Arquivo do blog